Após a boa reputação do Pix no mercado, o Banco Central pretende oferecer mais formas de pagamento no Brasil com o real digital ou uma alternativa à moeda virtual brasileira.  Um laboratório foi lançado no final de 2021 para verificar as possibilidades de uso e se é possível colocar a ideia em prática. A expectativa

Após a boa reputação do Pix no mercado, o Banco Central pretende oferecer mais formas de pagamento no Brasil com o real digital ou uma alternativa à moeda virtual brasileira. 

Um laboratório foi lançado no final de 2021 para verificar as possibilidades de uso e se é possível colocar a ideia em prática. A expectativa é que testes sejam aplicados com grupos específicos até o final de 2022. 

Enquanto a solução do BC não é implementada no mercado, existem diversas alternativas seguras que podem ser escolhidas pelos investidores.

Neste artigo, listamos diversas alternativas, destacando as principais características e os benefícios para investidores. Acompanhe! 

Quais são as melhores criptomoedas para investir? 

A partir de agora, mostraremos uma lista com diversas criptomoedas que são ótimas alternativas para quem está iniciando no mercado. 

Bitcoin (BTC)

De acordo com especialistas no assunto, a expectativa é que o Bitcoin conquiste o domínio na lista das melhores criptomoedas para investir em 2022.

Para se ter uma ideia, com a hipervalorização, ela tem potencial para alcançar US$ 100. Diante desse cenário, não é exagero dizer que o bitcoin é uma moeda indispensável em sua carteira. 

Solana (SOL)

Apesar de ser uma moeda bastante popular, o Bitcoin não é a única alternativa para aquelas pessoas que pretendem investir em moeda digital neste ano. 

A Solana (SOL), que faz parte da categoria de moedas denominadas como ethereum killers, é um ótimo investimento. Isto é, ativos parecidos ao projeto ethereum, mas que podem se aproveitar da capitalização. 

Se por um lado, o ethereum (ETH) tem de problema, por outro, a SOL tem alternativa. Uma plataforma de contratos modernos escalável com alta quantia para as finanças descentralizadas. 

Polkadot (DOT)

Outra dica interessante é a Polkadot (DOT). Trata-se de um protocolo que tem como foco fazer a conexão de todas as blockchain, além de resgatar uma boa parcela do mercado da rede ethereum. 

Avalanche (AVAX)

A Nasser, da Inversa, oferece como alternativa a Avalanche (AVAX). Ela pertence ao grupo dos ‘ethereum killers‘ e de acordo com ele é um protocolo com benefícios que superam em escalabilidade e programação a rede ethereum. 

Quais moedas evitar em 2022?

Embora o mercado esteja em evolução, os especialistas acreditam que há projetos que devem ser ignorados pelos investidores, seja pela ausência de fundamentos ou até mesmo que possam prejudicá-los com fraudes. 

Um exemplo interessante é o Ripple (XRP), que atua como um formato centralizado. A criptomoeda não faz parte de uma rede blockchain, contém um marketing deturpado e uma negociação com fraudes e manipulações. 

Os Bitcoin Cash (BCH)  e Bitcoin SV (BSV) também não são boas alternativas, uma vez que essas moedas digitais são falsas e construídas por falsificadores de identidade. 

Para completar a lista, é possível adicionar ainda Shiba Inu (SHIB) e da Dogecoin (DOGE). A valorização delas não corresponde a realidade do mercado. 

É fundamental deixar claro que bitcoin para iniciantes não é um bicho de sete cabeças. No mercado, você pode encontrar vários cursos e conteúdos completos e gratuitos sobre o tema. Dessa forma, é possível tomar decisões assertivas para o seu objetivo. 

Para evitar futuros problemas, recomendamos abrir uma conta em uma corretora que seja especialista em criptoativos. Assim, a moeda digital pode ser armazenada com segurança. 

Antes de escolher uma corretora, lembre-se de investigar como elas funcionam e a reputação no mercado. Vale procurar opiniões entre amigos, redes sociais e em sites de avaliação, como o Reclame Aqui. 

Após descobrir quais são as melhores criptomoedas para começar a investir, siga-nos nas redes sociais e conheça outras informações interessantes sobre moedas digitais.

Comentários

Salvar