Descubra como ter segurança no cálculo da remuneração variável, entendendo o que é e quais são os benefícios, com tabela e exemplos práticos

Empresas que buscam motivar as equipes de alto desempenho costumam recompensá-las em função da performance. Mas como ter segurança no cálculo da remuneração variável e conferir se os números estão mesmo retratando a realidade?

A remuneração variável não é nenhuma novidade, tendo início nos primeiros anos do século XX. Naquela época, as fábricas que adotavam o modelo de produção fordista ofereciam um pagamento por peça produzida.

Com o passar dos anos, essa prática foi se transformando. E, hoje, empresas dos mais diferentes ramos usam a remuneração variável para motivar e reter os seus colaboradores, além de tornar o modelo de negócio mais competitivo.

Neste artigo, você entenderá melhor o que isso significa na prática, quais são os principais benefícios e alguns exemplos de remuneração variável, incluindo:

  1. experiências;
  2. comissão;
  3. programa de participação dos resultados;
  4. programa de participação nos lucros;
  5. bônus.

Além disso, você descobrirá como calcular média de salário variável, o que prevê a CLT e como a tecnologia ajuda a ter segurança no cálculo da remuneração variável.

O que é a remuneração variável?

A remuneração variável é um pagamento que a empresa faz aos  colaboradores, dependendo dos resultados que eles alcançarem em determinado período.

Geralmente, são estabelecidas metas individuais ou coletivas. Se os funcionários cumprirem o que foi proposto, eles receberão uma recompensa, que pode ser em dinheiro ou outros prêmios.

Diferentemente do salário, que é fixo, essa remuneração variável (ou flexível) é um “extra” que está atrelado ao desempenho dos colaboradores.

Veja também: importância da motivação no trabalho – principais benefícios + 11 dicas para motivar seus colaboradores

Quais os benefícios da remuneração variável?

As empresas que aderem à remuneração variável têm acesso a uma série de vantagens. Provavelmente, a principal delas é a maior motivação dos funcionários, sabia? 

Isso porque, ao saber que poderá ser recompensado por seus esforços, o funcionário tende a dar o melhor de si para alcançar as metas estabelecidas e receber uma comissão de vendas maior, por exemplo.

Outro benefício da remuneração variável é a retenção de talentos. Os colaboradores tendem a permanecer na empresa que valoriza e cria condições para que eles possam obter ganhos maiores.

Por fim, há de se mencionar o impacto positivo que a remuneração variável gera na imagem da organização. Ela passa a ser vista no mercado como uma boa empregadora (employer branding), o que faz com que atraia os melhores talentos.

Leia também: fatores-chave que determinam a motivação para o trabalho

Remuneração variável: exemplos

Existem diferentes formas de se aplicar a remuneração variável na empresa. Aqui, separamos alguns exemplos para demonstrar como essa estratégia funciona na prática.

1 – Experiências

Você pode recompensar os colaboradores com experiências, como: viagens, jantares, ingressos para shows, cinema, teatro, jogos de futebol etc.

2 – Comissão

Esse talvez seja o exemplo de remuneração variável mais comum, especialmente em se tratando de vendas. No caso, o funcionário recebe uma porcentagem sobre o valor de cada venda que ele realiza.

3 – Programa de Participação dos Resultados (PPR)

No PPR, o colaborador é remunerado com base no cumprimento das metas. Em geral, elas são estabelecidas em diferentes níveis. E, quanto mais ambiciosas forem as metas alcançadas, maior será a remuneração.

4 – Programa de Participação no Lucros (PPL)

Outra possibilidade de aplicação da remuneração variável, além do PPR, é com um PPL. Nesse programa, o colaborador recebe uma porcentagem dos lucros da empresa em determinado período.

Por sinal, a segurança no cálculo da remuneração variável pelo PPL é garantida pela Lei 10.101, de 19 de dezembro de 2000.

A referida lei estabelece que, dentre outros pontos, a empresa deve realizar até dois pagamentos por ano aos seus funcionários, O intervalo entre eles deve ser de, pelo menos, 3 meses.

Como a remuneração variável proveniente do PPL não é de natureza salarial, a empresa fica isenta de impostos sobre os valores repassados. Porém, o colaborador precisa declarar essa remuneração no Imposto de Renda.

5 – Bônus

Por fim, o bônus é um tipo de remuneração variável em que o cálculo é feito sobre o valor do salário do colaborador.

Para complementar, dê uma olhada neste quadro resumo com as principais características de alguns tipos de remuneração flexível:

Veja mais: nenefícios para funcionários – saiba quais são os mais atrativos

Como a CLT garante a segurança no cálculo da remuneração variável?

A Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) também funciona como um mecanismo que garante segurança no cálculo da remuneração variável.

No caso de licença maternidade, por exemplo, o cálculo da remuneração variável deve ser feito com base nos seis meses que antecedem o afastamento da colaboradora.

Em outra situação, como aviso prévio indenizado, a remuneração variável deve ser incluída na rescisão contratual. Esse cálculo é feito considerando o último salário do funcionário, os adicionais que ele recebeu e a média de todas as remunerações variáveis nos últimos 12 meses.

Afinal, como calcular média de salário variável?

Basicamente, o cálculo da média de salário variável é feito a partir da soma de todos os valores repassados pelo total de pagamentos.

Em empresas de pequeno porte, há como calcular essa média utilizando uma tabela de remuneração variável no Excel. Basta manter o registro atualizado dos repasses e aplicar as fórmulas do próprio programa para efetuar o cálculo.

Porém, em empresas com maior número de colaboradores, recomenda-se o uso de um software especializado. Tais soluções têm recursos mais avançados, que permitem calcular com precisão e controlar as remunerações variáveis.

Como a tecnologia traz segurança no cálculo da remuneração variável?

Para ter mais segurança no cálculo da remuneração variável, a dica é investir no sistema especializado em gestão da performance individual e coletiva, como o STRATWs One.

Essa ferramenta oferece um painel que atualiza o desempenho dos colaboradores e efetua cálculos automáticos de quanto deverá ser pago em remuneração variável, tendo como base as metas previamente estabelecidas.

Esse tipo de remuneração estratégica pode trazer excelentes resultados para os negócios. Justamente por isso, deve-se ter certeza de que os cálculos estão sendo feitos corretamente, lembrando que a tecnologia reduz a chance de erros manuais.

Veja neste vídeo como a ferramenta da Siteware pode garantir essa segurança, dentre outras vantagens:

Lembre-se: a remuneração flexível é uma forma importante de motivar colaboradores. Em paralelo, existem outras opções disponíveis em nosso blog, incluindo como ter um time engajado para sua empresa.

Comentários

Salvar