Entender o que é a taxa Selic e como ela funciona é um dos primeiros passos de quem está se familiarizando com os principais conceitos da Economia. Isso porque esse índice  engloba tudo que envolve investimentos e finanças dentro do sistema financeiro. A Taxa Selic possui um papel fundamental no contexto econômico brasileiro, pois atua 

Entender o que é a taxa Selic e como ela funciona é um dos primeiros passos de quem está se familiarizando com os principais conceitos da Economia. Isso porque esse índice  engloba tudo que envolve investimentos e finanças dentro do sistema financeiro.

A Taxa Selic possui um papel fundamental no contexto econômico brasileiro, pois atua  como a taxa básica de juros do País e é definida pelo próprio Banco Central.

Mas, afinal, no que a Selic implica? Como ela funciona e quais são seus impactos no mercado financeiro? Acompanhe este artigo e saiba tudo sobre o assunto.

O que é a taxa Selic e como ela funciona?

A Taxa Selic é a taxa básica de juros do Brasil. Ou seja, ela é usada como um indicador base para definir os juros no País e, inclusive, seu valor afeta uma série de outros indicadores, como a rentabilidade de um investimento. 

O termo Selic deriva do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, um sistema do Banco Central que controla as negociações de títulos públicos federais. As operações diárias de curto prazo – empréstimos entre instituições financeiras com títulos federais de garantia – são apuradas e referem-se à taxa Selic.

Resumidamente o que acontece na prática é que, as instituições financeiras realizam milhares de operações diariamente e precisam fechar o dia com uma quantia obrigatória sendo depositada na conta do Banco Central. Como uma tentativa de controlar a inflação. 

Caso seja necessário, as instituições realizam empréstimos de outros bancos– com vencimento em 24 horas–  para conseguir fechar o caixa corretamente. Visto que as operações são fiscalizadas por lei, as instituições oferecem os títulos públicos do Banco Central como garantia dos empréstimos. 

Dito isso, para entender melhor o que é a taxa Selic na prática é preciso aprofundar as duas métricas usadas pelo mercado: Selic Meta e Selic Over.

Selic Meta

A Selic Meta é regulada pelo COPOM (Comitê de Política Monetária), por meio do Banco Central, estipula a taxa em que os títulos públicos dos bancos serão negociados – Taxa Meta. Isso quer dizer que, é a principal taxa de juros da economia e é a partir dela que outras serão calculadas. 

A Selic Meta é um parâmetro utilizado pelos bancos para determinar a taxa de juros de empréstimos diários realizados entre si e a partir dela é que os preços da economia serão estipulado. O objetivo é, por meio dos juros, controlar o setor econômico e a inflação, ou seja, se a inflação está alta, a Taxa Meta também aumenta. 

Selic Over

A Selic Over é a taxa que está sendo praticada e calculada no mercado, sendo então, a médica de todas as operações que utilizam a Selic como base. Quando os bancos realizam os empréstimos entre si, utilizam os títulos federais (por exemplo, Tesouro Direto) como garantia, essa movimentação resulta na Taxa Over. 

Em resumo, a Selic Over é o valor ponderado da taxa que está real sendo usada no mercado entre as instituições financeiras. 

Caso tenha alguma dúvida ainda, veja o vídeo da Nath Finanças de maneira simplificada, sobre a taxa Selic: 

Para que serve a taxa Selic?

Agora que sabemos o que é a taxa Selic é importante saber para que serve essa medida dentro do mercado brasileiro. O objetivo principal é controlar a economia por meio da garantia de controle dos preços de mercado a fim de evitar a perda do poder de compra da moeda. 

Sendo assim, a Selic desempenha um papel além de controlar as taxas de juros do País, o controle da inflação é a real finalidade dessa taxa. De maneira resumida, o controle da inflação através da Selic é feito pela quantidade de dinheiro que está sendo circulada no mercado. 

Exemplificando: 

  • O aumento da Selic desacelera a economia, os juros ficam mais altos e é mais difícil tomar crédito, impedindo a inflação de ficar mais alta 
  • Ao baixar a Selic, tende a estimular o consumo e aquecer a economia pela facilidade de adquirir produtos e crédito no mercado 

Além de tudo isso, a taxa de juros da Selic é a base para o rendimento dos principais investimentos do mercado financeiro. 

Como a Taxa Selic interfere nos Investimentos?

Após entender como a Taxa Selic funciona e seu papel na Economia brasileira de maneira geral – e no seu bolso, é claro –, imagino que seja interessante para você entender o impacto dela nos seus investimentos. 

Para entender de maneira mais assertiva a influência e o papel da Selic nos investimentos, serão levantadas as principais categorias que você deve ficar de olho.

Renda Fixa

O papel da Taxa Selic em investimentos de renda fixa é expressivo. Isso porque investimentos de renda fixa acabam tomando como base a Selic para estimar sua rentabilidade e, também, existem opções que estão diretamente vinculadas a essa taxa.

Aqui cabe destacar o clássico Tesouro Selic, que é baseado no próprio valor do indicador, mas também investimentos que estão atrelados ao CDI – que, por sua vez, está atrelado à taxa básica de juros –, como os CDBs.

Por mais que existam opções como os Tesouros Prefixados que possuem uma taxa fixa de juros que não está diretamente vinculada aos movimentos da Selic, esses títulos acabam por serem medidos pela régua de rentabilidade desse indicador.

Ações

Quando falamos de renda variável, especialmente de ações, o efeito da Taxa Selic é mais indireto, mas, ainda assim, é inegável sua influência até mesmo na bolsa de valores brasileira.

De modo geral, a Selic está “inversamente proporcional” à atratividade de ativos de renda variável. Ou seja, quando a taxa de juros está alta, ativos da bolsa – especialmente de categorias mais “alavancadas”, como empresas de tecnologia – tendem a se desvalorizar e o contrário também se faz válido.

Isso acontece porque o prêmio recebido pelo maior risco percebido na bolsa de valores começa a ser questionado: afinal, por que vou investir em ações com alto risco se tenho um retorno quase que garantido investindo no Tesouro Selic?

Já quando a Selic está baixa, o risco a mais se torna atrativo, dado a baixa rentabilidade obtida ao deixar seu patrimônio alocado em títulos e papéis vinculados à Selic – direta ou indiretamente.

Fundos Imobiliários

Por fim, quando falamos de investimento em fundos imobiliários, a linha de raciocínio é bem parecida com a tratada no campo das ações. Mas aqui há uma ressalva importante: como um dos fortes dos FIIs é a distribuição mais agressiva de dividendos, o investimento pode se fazer interessante caso comparado com o valor da Selic nominal, mesmo em caso de altas.

Ainda, é interessante notar que existem FIIs que têm sua rentabilidade ligadas a indicadores como o CDI, que acompanham as flutuações da taxa Selic.

Portanto, visto no que a Taxa Selic pode influenciar dentro dos seus investimentos, que tal compartilhar o artigo e deixar outros investidores cientes sobre o assunto? Isso porque, se manter atualizado dentro do mercado financeiro é essencial, não deixe de acompanhar nossos conteúdos para obter a melhor informação necessária.

Comentários

Salvar