Recentemente, entrou em vigor uma nova reforma da Previdência Social. As novas regras estenderam o tempo de contribuição e a idade mínima para que os trabalhadores brasileiros consigam se aposentar pelo INSS. Com isso, a tão sonhada aposentadoria ficou um pouco mais distante. E com o envelhecimento da população, é bem provável que daqui a

Recentemente, entrou em vigor uma nova reforma da Previdência Social. As novas regras estenderam o tempo de contribuição e a idade mínima para que os trabalhadores brasileiros consigam se aposentar pelo INSS.

Com isso, a tão sonhada aposentadoria ficou um pouco mais distante. E com o envelhecimento da população, é bem provável que daqui a alguns anos seja preciso fazer uma nova reforma para conseguir fechar a conta do pagamento desse benefício previdenciário.

Tendo isso em vista, uma alternativa para não ficar dependente do INSS e ter uma aposentadoria mais confortável é a contratação de um plano de previdência privada.

Muitas empresas oferecem essa opção para os funcionários para que eles possam criar uma reserva financeira de longo prazo, visando melhorar a satisfação, o bem-estar e a motivação dos colaboradores.

Neste artigo, vamos explicar o que é previdência privada empresarial, como funciona e quais são os diferentes tipos.

Além disso, você confere também as vantagens que um plano de previdência privada pode trazer tanto para a sua empresa quanto para os seus funcionários.

O que é previdência privada empresarial?

Podemos definir o que é previdência privada empresarial como um benefício corporativo que as empresas oferecem para os seus funcionários.

Trata-se da criação de uma reserva financeira com foco em garantir uma aposentadoria mais confortável para os colaboradores, de modo que eles não fiquem totalmente dependentes do INSS – cuja alíquota continua sendo descontada normalmente no contra-cheque.

A previdência privada empresarial é uma forma de incentivar os colaboradores a poupar dinheiro pensando a longo prazo.

Previdência privada: como funciona para empresas?

Entender como funciona a previdência privada para empresas não é complicado. Basicamente, a empresa cria um fundo em que é depositado mensalmente um valor que vai rendendo no decorrer dos anos.

Existem duas formas de fazer esse depósito mensal para o plano de previdência privada corporativo: a averbada e a instituída.

Na contribuição averbada, a empresa simplesmente faz intermediação entre o colaborador e a instituição financeira, corretora de valores ou banco que oferece planos de previdência privada. As contribuições são descontadas integralmente e diretamente do pagamento dos funcionários.

Já na modalidade de previdência privada instituída, a empresa contribui junto com o funcionário. Ou seja, o funcionário deposita uma quantia e a empresa deposita outra quantia para esse fundo. A contribuição para a previdência privada é feita de maneira conjunta.

Os aportes feitos pelo colaborador podem ser resgatados após o prazo de 60 dias. Já o prazo para resgate do montante depositado pela empresa depende dos termos estabelecidos por esta no contrato firmado com o colaborador.

Na maioria das vezes, os prazos estabelecidos para os planos instituídos são de 5 a 10 anos. Há também outros critérios determinantes para o recebimento ou não dos aportes feitos pela empresa, como a causa da demissão.

Entenda ainda melhor o que é previdência privada assistindo a este vídeo da XP Investimentos:

Leia também: 5 livros sobre investimento para enriquecer o seu patrimônio

Quais são os tipos de plano de previdência privada empresarial?

Há dois tipos de previdência privada: o PGBL e o VGBL. Cada um possui suas particularidades e vantagens.

PGBL

PGBL é o Plano Gerador de Benefício Livre. Trata-se de uma modalidade em que há a dedução do Imposto de Renda. 

Titulares desse plano podem deduzir até 12% de sua renda tributável quando forem fazer a declaração anual de IR.

Além disso, a incidência de Imposto de Renda ocorre sobre o montante investido no plano de previdência privada somado aos rendimentos obtidos nesse período.

VGBL

VGBL é o Vida Gerador de Benefício Livre. Nessa modalidade, que é a mais vendida no país, o Imposto de Renda incide apenas sobre os rendimentos e não sobre o montante total das aplicações. Porém, não há a garantia de dedução da renda tributável do titular do plano.

Vale lembrar que a escolha entre PGBL e VGBL é feita no momento da contratação do plano de previdência privada e não pode ser modificada no decorrer do plano.

Veja em nosso blog: Insurtechs brasileiras: conheça empresas que inovam no mercado de seguros

6 motivos para você montar um plano de previdência privada

A contratação de um plano de previdência privada empresarial pode representar vantagens tanto para a empresa quanto para os funcionários.

Confira abaixo 6 motivos para investir na previdência privada:

  1. Maior estabilidade financeira para os colaboradores;
  2. Aumento da satisfação, motivação, produtividade, engajamento e qualidade de vida dos funcionários;
  3. Diminuição da taxa de rotatividade;
  4. Atração e a retenção de talentos;
  5. Os aportes feitos pelas empresas são dedutíveis para IR e CSLL;
  6. Reajuste dos aportes é feito automaticamente com o reajuste do salário.

Veja mais algumas vantagens de investir em, previdência privada, assistindo a este vídeo da Xpeed:

As empresas que oferecem bons benefícios aos seus funcionários conseguem criar um ambiente mais produtivo.

Agora que você já sabe mais sobre o que é previdência privada empresarial, que tal investir em um plano para os seus colaboradores?

O ideal é se planejar bem, para isso, este post tem algumas dicas para você: Planejamento financeiro: como afeta seus investimentos

Comentários

Salvar