Você tem um perfil de investidor mais moderado e quer aumentar seus ganhos? Aprenda o que é a renda variável e como você pode investir!

Quem busca oportunidades de investimento com alta possibilidade de retorno já deve ter pesquisado por aí o que é renda variável. Se você quer saber exatamente o que é esse tipo de aplicação e como é possível se dar bem nesse mercado, que tal entender em detalhes como ela funciona?

Diferentemente da renda fixa, a renda variável é uma forma de investimento que requer um pouco mais de ousadia do investidor, devido aos riscos envolvidos nas negociações. 

Aprenda o que é a renda variável, como investir nela e como ela funciona! 

O que é renda variável?

Quem quer começar a fazer investimentos no mercado financeiro se depara com algumas possibilidades de transações. Diante delas, é comum que muitos se perguntem o que é a renda variável e o que é a renda fixa.

Para compreender melhor a diferença:

  • renda variável: é um tipo de investimento com retorno imprevisível, porém com boas oportunidades de lucro a médio e longo prazo;
  • renda fixa: é uma aplicação em títulos com taxa de lucro definida já no momento da compra.

Neste texto, vamos focar na renda variável, uma excelente possibilidade para quem busca diversificar a sua carteira de investimentos e lucrar com ações de empresas. 

A renda variável faz parte de um mercado reconhecido pela variação e flutuação dos preços.

Por isso, é preciso muito cuidado na hora de aplicar o seu dinheiro.

Entre as principais vantagens da renda variável estão:

  • potencial de alta valorização;
  • diversificação de portfólio;
  • recebimento de dividendos, além do lucro dos ativos.

Entenda em detalhes como funciona a renda variável! 

Como funciona o investimento em renda variável?

O investimento em renda variável não é recomendado para investidores conservadores, mas sim para aqueles que se consideram moderados ou arrojados.

Isso porque ela traz riscos de perda ao aplicar o seu patrimônio. Ao mesmo tempo, ela também pode trazer lucros maiores do que a renda fixa. 

Por isso, o investidor moderado pode alocar um percentual menor na renda variável do que o arrojado, por exemplo. 

Quando uma pessoa compra uma ação de renda variável, ela espera que aquela empresa apresente bons resultados. Consequentemente, isso faz com que ela valorize o seu patrimônio.

Diante disso, os principais ativos que são encontrados na renda variável são:

  1. ações: são a menor parcela de capital de uma empresa, sendo o ativo mais conhecido de renda variável. Ao comprar uma ação você se torna acionista de uma companhia, lucra com a valorização de seus papéis e pode ser remunerado com eventuais dividendos (lucros que ela tem); 
  2. contratos futuros: são contratos de compra e de venda que serão realizados no futuro;
  3. ETFs (Exchange Traded Funds): são fundos de investimento negociados na Bolsa de Valores. Eles utilizam determinados índices de mercado como referenciais de rentabilidade e são um caminho para investir no exterior;
  4. commodities: são produtos com preço padronizado. Aqui estão incluídas mercadorias como petróleo, milho, soja e boi;
  5. câmbio: é a compra de moeda estrangeira com o intuito de gerar renda a partir da diferença cambial;
  6. criptomoedas: são moedas virtuais descentralizadas, não controladas por bancos centrais. Os principais exemplos são o Bitcoin, Ethereum e Litecoin. Esses ativos são os que mais sofrem com a flutuação de preços;
  7. fundos imobiliários: um pouco mais estáveis, são fundos de investimento que aplicam capital em imóveis de todos os tipos. Pode ser usado tanto na construção quanto na aquisição de imóveis que posteriormente serão locados; 
  8. opções: representa o direito de comprar ou vender uma ação em uma data futura a um preço preestabelecido.

Ao apostar na renda variável, o investidor deve estar ciente de que há inúmeros fatores que influenciam na oscilação dos seus ativos. Entre eles estão:

  • cenário econômico nacional e internacional;
  • questões geopolíticas;
  • setor de atuação da empresa;
  • qual é o seu ativo principal (moeda, imóvel, commodity).

Por isso, na hora de fazer investimentos em renda variável, é fundamental estudar o mercado e observar as suas tendências. 

Além de se perguntar o que é renda variável e como ela funciona, muitos se questionam se esse tipo de negócio é seguro. 

Se você está pensando em segurança jurídica e institucional saiba que a resposta é sim! A Bolsa de Valores é responsável por organizar, manter, controlar e garantir os sistemas adequados para a realização das transações.

O Estado, por sua vez, age por meio da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que regulamenta, fiscaliza, julga e pune os agentes do mercado que, porventura, venham a ferir as regras estabelecidas.

Mas se você pensa numa segurança de retorno previsível, a resposta é não. No entanto,  é bom ter em mente que quanto maior é o seu risco de perda, maior também é a sua oportunidade de ganhos.

Descubra como investir na renda variável!

Como investir em renda variável?

Se você quer começar a investir em renda variável, saiba que não há um valor mínimo para isso. Contudo, alguns ativos podem ser vendidos em lotes mínimos, então o ideal é escolher os seus e comprar o quanto você deseja.

Para facilitar a sua vida, aqui estão os principais passos que você pode seguir para investir em renda variável:

  1. faça uma reserva financeira: antes de tudo, economize o equivalente a seis ou doze meses de gastos para se sentir seguro;
  2. estude o mercado: assista a vídeos no Youtube, leia e faça cursos sobre o tema. O acesso a informações de qualidade é a principal maneira de entender o seu perfil de investidor e quais ativos você quer comprar;
  3. conte com apoio profissional: muitas corretoras disponibilizam uma assessoria técnica. Procure aquelas que sejam mais confiáveis para te auxiliar nessa trajetória;
  4. comece investindo pouco: aplique apenas valores que não são essenciais para a sua sobrevivência;
  5. defina a sua estratégia: avalie qual porcentagem do seu patrimônio você quer colocar na renda variável e na renda fixa e que tipo de ativos mais te atraem (ações, criptomoedas, etc);
  6. monte uma carteira de investimentos diversificada: tenha um bom assessor que te indique os ativos que se encaixam na sua estratégia. Além disso, não coloque tudo numa mesma ação, assim você estará mais protegido das eventuais flutuações dela.

Quem estuda bem o mercado financeiro tem mais chances de ser bem-sucedido na hora de investir o seu dinheiro!

Agora que você já sabe o que é a renda variável, que tal continuar aprendendo sobre outras possibilidades de investimento? Leia mais posts no nosso blog!

Comentários

Salvar