Saiba tudo o que é preciso para dar aulas online e conheça os recursos e preços das melhores ferramentas de videoconferência

A educação a distância não é uma novidade. Diversas instituições brasileiras, especialmente de ensino superior, já desenvolviam programas de EAD na primeira década deste século. Porém, ela se tornou a única alternativa para a educação durante a pandemia de Covid-19.

Mais de 1,2 bilhão de crianças em 186 países foram afetadas pelo fechamento de escolas devido à pandemia, de acordo com dados da Unesco (braço da ONU para educação). Para solucionar a impossibilidade de conduzir aulas presenciais, as escolas passaram a adotar aulas por videoconferências.

No entanto, a falta de preparação para aulas por ferramentas online cria obstáculos para professores e alunos. Em muitos casos, a distância impede que sejam repetidas as mesmas experiências alcançadas nas salas de aula.

Para ajudar a amenizar essas dificuldades, indicamos, a seguir, dicas para fazer aulas por videoconferência e listamos algumas ferramentas que podem ser utilizadas. Acompanhe!

Como fazer aulas por videoconferência

A preparação exigida para as aulas online não é muito distante da normalmente realizada para as aulas presenciais. O que muda mesmo são os recursos que serão utilizados.

O primeiro passo é contar com um notebook que permita a realização de uma videoconferência sem que haja problemas técnicos. E, é claro, os professores precisam contar com um bom sinal de internet, para evitar que a transmissão trave ao longo da aula.

É fundamental também testar os equipamentos e verificar se a câmera e o áudio estão funcionando como o esperado, além de buscar um local com boa iluminação para que a qualidade do vídeo não seja prejudicada.

Com os equipamentos e os recursos adequados, alguns cuidados para realizar as aulas por videoconferência devem tornar esse momento mais proveitoso tanto para os alunos quanto para os professores.

As aulas online podem ser mais dinâmicas que as presenciais, já que não há, por exemplo, paralisações por indisciplina. Assim, o professor deve se preparar para manter a produtividade durante o tempo.

Ainda que as principais ferramentas de videoconferências permitam visualizar a maioria dos alunos, as janelas são pequenas e se torna mais difícil acompanhar a interação dos estudantes ao longo da aula. Por isso, é recomendável manter um diálogo constante e questionar se as explicações estão claras.

Plataformas para aulas por videoconferência

  • Zoom Meetings
  • Microsoft Teams
  • Google Meet
  • Whereby
  • Skype
  • ezTalks
  • Discord
  • Join.me

As ferramentas de videoconferência apresentam cada vez mais recursos para aprimorar as experiências nas reuniões online. Atualmente, é possível encontrar plataformas que desenvolvem alternativas especificamente para a educação a distância, como Zoom, Microsoft Teams e Google Meet.

Há ferramentas que exigirão o download de um software, enquanto outras, como o Whereby, permitem a realização da aula por videoconferência diretamente no navegador.

Para as aulas com grupos menores, o leque de plataformas é vasto. Já se o número de alunos for maior, é recomendável analisar os planos pagos. 

A seguir, apresentamos mais detalhes de como funcionam as principais ferramentas de videoconferências:

Zoom Meetings

O Zoom é um serviço de conferência remota que combina videoconferência, reuniões online, bate-papo e colaboração móvel. 

Uma de suas principais vantagens em relação aos concorrentes é a estabilidade oferecida quando a ferramenta é usada por um grande volume de pessoas ao mesmo tempo.

Na versão gratuita, o Zoom tem chamadas individuais ilimitadas, reuniões em grupo de até 100 participantes por 40 minutos e possibilidade de participar sem ter conta no Zoom e por chamada telefônica. 

Os planos pagos possibilitam a realização de reuniões com até 500 participantes. Já no modo webinar, há a possibilidade de contar com até 10 mil espectadores.

No desktop, é possível visualizar 49 participantes de uma videoconferência do Zoom numa mesma tela.

Microsoft Teams

Microsoft Teams é a plataforma unificada de comunicação e colaboração da Microsoft, que reúne bate-papo, videoconferências, armazenamento de arquivos e integração de aplicativos no local de trabalho.

A Microsoft possui uma alternativa específica do Teams para educação e disponibiliza o pacote Office 365 gratuitamente para as escolas que estão credenciadas.

As chamadas de vídeos podem ter telas compartilhadas. A versão gratuita permite armazenamento de até 10GB, sem limite por número de mensagens. Porém, há um limite de 300 usuários usando a versão gratuita do Teams.

O início de uma chamada de vídeo no Microsoft Teams é simples. Basta clicar no ícone de “câmera” no canto direito superior do chat que a ferramenta iniciará a videoconferência com todas as pessoas que estão envolvidas naquela conversa.

Google Meet

O Google Meet é a ferramenta de videoconferências do Google. O recurso faz parte do pacote G Suite, que é pago e fornece soluções de produtividade para organizações, escolas e negócios.

Desde o início de maio de 2020, todas as pessoas que têm uma conta do Google podem usar o Meet. Até 30 de setembro de 2020, os educadores e administradores de TI terão acesso aos recursos premium de videoconferência do Google Meet, como reuniões maiores (até 250 participantes por chamada), transmissão ao vivo e gravação de reuniões.

As reuniões gratuitas do Google Meet podem ter até 100 participantes e duração máxima de 60 minutos. Se o limite de tempo for alcançado, será necessário criar uma nova reunião para continuar a usar o serviço.

Assim como as principais ferramentas de videoconferência, o Google Meet conta com recursos de compartilhamento de tela. Entre seus diferenciais, estão legendas em tempo real (disponíveis apenas em inglês) e uma ferramenta de inteligência artificial que adapta a luz do ambiente.

Skype

O Skype é o software da Microsoft que permite a comunicação online, tanto em videoconferência quanto em textos. Além das conexões de voz e vídeo, também possibilita a transferência de arquivos.

Entre as principais do mercado de videoconferências, o Skype é uma das ferramentas mais antigas. Pode ser usado tanto computador, quanto em tablets e smartphones.

O Skype é um serviço gratuito. Para usá-lo, é necessário criar uma conta do Skype ou da Microsoft. 

Se usa um dispositivo Mac, iOS ou Android, o usuário pode entrar no Skype com a conta da Microsoft.

Whereby

Whereby é uma plataforma para fazer videoconferências diretamente no navegador. A ferramenta dispensa a necessidade de download de programas ou cadastro dos convidados.

Além da versão web, o Whereby tem aplicativo para celulares Android e iOS

A ferramenta oferece também uma extensão para Chrome. O plugin, que pode ser encontrado na Chrome Web Store, permite acesso fácil à sala de reunião e integração com o Google Agenda.

Durante a videoconferência, é possível compartilhar a tela com os convidados, trocar mensagens no chat e gravar a reunião online. A gravação pode ser baixada ou armazenada na nuvem do serviço.

ezTalks

EzTalks é uma plataforma provedora de serviços para comunicação online. A ferramenta possui recursos para videoconferência, audioconferência, webinars, compartilhamento de telas e arquivos.

Para criar uma reunião no ezTalks, é necessário criar um conta e também fazer o download da ferramenta.

Os demais participantes da videoconferência não precisam fazer cadastro para entrar na reunião. O convite pode ser enviado por e-mail ou com a cópia do link de acesso. 

Discord

O Discord funciona com um servidor, onde acontece a comunicação. É possível incluir toda uma organização ou apenas um grupo de pessoas.

Dentro do servidor, há os canais, que funcionam como sub-temas ou grupos menores.

É possível ainda enviar mensagens diretamente para amigos dentro do servidor. 

As videoconferências do Discord comportam até 10 usuários e permitem o compartilhamento de tela.

Join.me

O Join.me é uma ferramenta de videoconferências que permite a realização de reuniões online sem a necessidade de fazer download de um software ou aplicativo. O acesso à plataforma pode ser feito diretamente no navegador. 

Depois de fazer o cadastro no Join.me, o usuário define um link pessoal que se tornará sua sala de reuniões permanente e envia a URL para outros participantes da videoconferência.

Essas pessoas precisam apenas clicar no endereço, informar um nome e aguardar a aprovação do administrador.

Antes de selecionar uma ferramenta de videoconferências para dar aulas online, avalie quais são os recursos disponíveis e se há planos gratuitos que comportem o número de alunos que você precisará.

Lembre-se que uma plataforma de videoconferências que é boa para outro professor pode não ser a escolha ideal para aquilo que você precisa.

Agora que você já conhece as melhores ferramentas para dar aulas online, certifique-se que você tem todos os equipamentos necessários para realizar videoconferências.

Comentários

Este blog tem o orgulho de ter o apoio destas marcas:
Salvar