Veja o que é preciso para fazer lives no YouTube, Instagram e Facebook e como usar transmissões ao vivo em estratégias de marketing

No período de isolamento social, provocado pela pandemia de coronavírus, as transmissões ao vivo de áudio e vídeo na internet se tornaram ainda mais comuns. De acordo com a ferramenta de análise de tendências Google Trends, o termo “livre” saltou de três buscas diárias em 12 de março para um pico de 100 buscas exatamente um mês depois.

Esses números estão relacionados a grandes shows transmitidos pela internet. As lives de músicos como Jorge & Mateus, Gusttavo Lima e Marília Mendonça atraíram milhões de pessoas. Assim, algumas marcas, como Brahma e Rappi, aproveitaram essa audiência para ampliar suas presenças digitais. 

Contudo, outros casos mostram que usar a imagem dos artistas para a divulgação de produtos não é a única forma de aproveitar o potencial das lives e driblar as dificuldades em vender com as lojas físicas fechadas. 

Como usar lives para aumentar vendas

Na China, onde houve o primeiro caso de Covid-19, a joalheira Ideal transformou seu modelo de negócios tradicional de 18 anos em um novo formato de varejo praticamente da noite para o dia. 

Os donos da rede promoveram o projeto “Mil Pessoas, Mil Lojas”, com a intenção de criar lojas online na nuvem por meio de transmissão ao vivo. 

Como isso foi feito? Os vendedores foram treinados por meio de cursos online para eles mesmos divulgarem os produtos em transmissões ao vivo pela internet. Ao recorrer às lives, cada vendedor tem “sua própria loja virtual”.

Sob o novo modelo de negócios, os vendedores recebem uma comissão que varia de 10 a 50% em cada venda, muito superior aos 3% originais que costumavam receber nas lojas físicas.

Entre as vendas feitas online nesse formato está um anel de diamante de 5 quilates, comercializado no Valentine’s Day por US$ 14 mil. No entanto, essa é uma exceção. Para atrair consumidores mais habituados às compras online, a joalheria adotou a estratégia de divulgar produtos mais baratos, considerados mais acessíveis para a geração Z.

Além disso, a loja chinesa contratou um especialista para promover as habilidades de transmissão dos vendedores e maximizar o seu potencial de vendas. 

Mesmo quem não tem condições de contar com o auxílio de especialistas pode tirar o melhor proveito das lives em estratégias de marketing e vendas. Abaixo, listamos algumas das alternativas em que as transmissões ao vivo na internet podem auxiliar na divulgação de produtos e serviços.

Ideias de como usar lives no seu negócio

A iniciativa da joalheria chinesa em utilizar vendedores como os próprios apresentadores das lives se mostrou uma ação acertada. Todavia, há outros formatos que podem ser empregados numa estratégia de marketing.

Live de perguntas e respostas

Um dos formatos mais comuns de lives por empresas são as transmissões abertas para perguntas e respostas. Dessa forma, a organização educa seu mercado e fortalece sua marca ao compartilhar conhecimentos sobre um assunto.

Para realizá-las, é necessário apenas de um pequeno estúdio, uma câmera e, de preferência, um host experiente.

O apresentador deve ser alguém capaz de, eventualmente, lidar com um visitante chato ou agressivo. As sessões de perguntas e respostas ao vivo funcionam bem para qualquer marca em qualquer setor.

Entrevistas ao vivo

O anúncio de uma entrevista ao vivo com uma pessoa relevante para o setor tende a criar expectativa na audiência, desde que seja feito com antecedência.

A live neste formato visa deixar a marca mais conhecida e atrair mais possíveis consumidores para suas mídias sociais e site.

Live de tutoriais de produtos

Uma demonstração do produto filmado pode superar qualquer outro tipo de vídeo de promoção do produto. 

Esta é uma boa opção para campanhas de marketing sazonais, como ofertas e promoções exclusivas.

Lançamento de produto ao vivo

O lançamento de um produto usando a transmissão ao vivo é uma maneira de otimizar suas vendas instantaneamente. 

Grandes marcas, como Google, Apple, Honda utilizaram esta técnica não apenas para chamar a atenção para o evento, mas também aproveitar a sensação de novidade sobre o produto para a conversão em vendas.

Este formato é usado com sucesso pela Apple para divulgação de seus novos lançamentos.

Transmissão dos bastidores

As lives que mostram bastidores são conhecidas por atrair um público muito maior do que qualquer outro conteúdo relacionado à marca. 

Esse tipo de vídeo é bem-sucedido por criar um nível de envolvimento muito mais profundo com os consumidores e demonstrar a vida das pessoas reais por trás de um nome de uma marca.

Lives educacionais

Conteúdos educacionais são úteis em diferentes setores. Treinamentos virtuais, palestras ou talks tendem a reunir um público muito maior quando abordam um assunto de grande interesse.

Este formato costuma ser utilizado por empresas de tecnologia. As palestras de Satya Nadella, CEO da Microsoft, levaram milhares de espectadores ao canal do YouTube da companhia.

Transmissão ao vivo um evento offline

Em tempos de isolamento social, eventos que promovem aglomerações não são permitidos. Assim, esta dica vale para as situações que o cenário não é como o enfrentado durante a pandemia.

Estas lives são uma alternativa de aproximação com o público que não pode acompanhar o evento offline por questões de distância ou impossibilidade de ter acesso a ingressos.

Uma de suas grandes vantagens é a transferência de um evento físico para um local virtual, promovendo a interação, comentários e compartilhamentos nas mídias sociais.

Anualmente, este formato é usado pela organização da Comic Con Experience (CCXP), para ampliar a audiência de seu evento sobre cultura pop.

Dicas para fazer uma boa live

A produção de lives acompanha uma tendência de consumo que vem se consolidando nos últimos anos. Com internet mais rápida e dispositivos com mais tecnologia, o formato de vídeo tem ganho mais espaço, especialmente no Brasil. Segundo a pesquisa Video Viewers de 2019, divulgada pelo Google, o crescimento do consumo de vídeos na web foi de 165% nos últimos cinco anos.

No período de pandemia, em que há a obrigação de permanecer em casa para diminuir a onda de contágio, mais pessoas permanecem conectadas. No fim de março, o Brasil já havia batido o recorde do pico de tráfego da internet, com 10 terabits sendo enviados por segundo (Tb/s), segundo dados do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). 

Uma das principais causas para o crescimento no volume de dados é justamente a demanda de streaming de vídeos. Porém, para que live seja bem-sucedida, é preciso planejamento, que envolve os passos abaixo.

Produção de roteiro 

O primeiro passo para que uma live consiga ser atrativa e gerar interação com o público, é a definição do conteúdo que vai ser abordado. 

Ainda que a transmissão ao vivo tenha um caráter informal, é imprescindível a preparação de um roteiro para evitar gafes e até mesmo falta de assunto durante a transmissão. 

Treinamento antes de iniciar a transmissão

Mesmo para pessoas que tenham desenvoltura, é recomendável fazer uma gravação anterior à transmissão definitiva. 

O teste ajudará a rever pontos falhos e aprimorar a oratória, ampliando a chance de a live ser bem-sucedida.

Divulgação da live

A promoção da transmissão ao vivo é fundamental para atrair mais pessoas para a live. A divulgação por redes sociais, site e qualquer outro veículo deve sempre informar dia, horário e tema a ser abordado.

Cuidado com equipamentos e ambiente

Para evitar transtornos durante a transmissão, deve ser escolhido um lugar tranquilo e silencioso. Em locais abertos, é importante ter atenção especial à luz e evitar o vento, que pode causar ruídos no áudio.

Caso a live seja por meio de um smartphone, o próprio aparelho captará áudio e imagem. Já se a transmissão for realizada a partir de um desktop, é importante contar com uma boa câmera e um bom fone.

Depois de toda essa preparação, o próximo passo é, efetivamente, fazer a live. Para isso, é preciso definir qual será a plataforma. Saiba mais sobre as principais opções logo abaixo.

Banner Digicast

Como fazer uma live

As transmissões ao vivo pela internet podem ser realizadas com diferentes ferramentas. Usualmente, quando pensamos em vídeos, logo vem à cabeça o YouTube. Porém, Facebook e Instagram são outras duas redes muito usadas para lives. 

A seguir, explicamos os passos a serem seguidos para fazer lives em cada uma dessas ferramentas.

Como fazer live no Facebook

O Facebook ainda é uma das opções mais populares entre as opções de transmissão ao vivo. Veja o passo a passo:

  1. Para começar a live no Facebook, o primeiro passo é abrir a página da rede no seu navegador e clicar na área “No que estou pensando?” no topo do feed de notícias.
  2. Em seguida, o usuário deve selecionar a opção “Vídeo ao vivo”. Caso deseje, é possível adicionar uma descrição.
  3. Por último, basta clicar em “Transmitir ao vivo” e o vídeo será exibido para os seguidores depois de uma contagem de três segundos.

Durante toda a transmissão da live no Facebook, é possível acompanhar quem está assistindo, comentários, compartilhamentos, alcance e reações deixadas pelo público.

Uma das vantagens das lives no Facebook é a possibilidade de selecionar uma audiência específica que terá acesso ao conteúdo.

Como fazer live no YouTube

Quer saber como fazer uma live no Youtube? Siga estes passos:

  1. Para fazer uma live no YouTube, inicialmente, é preciso fazer login. 
  2. Na sequência, basta clicar no ícone de câmera no canto direito superior, logo ao lado do ícone de lupa onde se inicia uma busca.
  3. O YouTube permite dois tipos de transmissões: “gravar” ou “transmitir ao vivo”. A opção “transmitir ao vivo” é a indicada para quem deseja fazer uma live. 
  4. Na sequência, será aberta uma janela pedindo ao usuário que informe o nome da transmissão e defina como Pública (para todos), Privada (só quem tem o link pode acessar) ou Particular (fechada apenas para você).
  5. Em “mais opções”, é possível definir uma descrição e categoria. Já em “configurações avançadas”, há a possibilidade de escolher entre fechar ou não os comentários, aplicar ou não restrições de idade ou informar que trata-se de uma transmissão paga.
  6. O usuário também pode optar por “programar para mais tarde” e, assim, escolher dia e hora para o início da live.
  7. Caso a intenção seja iniciar a live imediatamente, basta clicar em “transmitir ao vivo”.

O YouTube tem a vantagem de contar com o Analytics, para visualizar os dados de acesso e informações como sexo e localidade dos espectadores. Um relatório completo fica disponível para download após o final da transmissão.

Como fazer live no Instagram

As lives no Instagram fazem parte da opção de “stories” da rede social e, por isso, ficam disponíveis por apenas 24 horas. Além disso, cada transmissão pode durar no máximo uma hora.

Para usar o modo ao vivo, basta seguir estes passos:

  1. Abra o aplicativo;
  2. Selecione a opção de Stories no canto superior esquerdo;
  3. Arraste a tela para a esquerda para selecionar a opção “ao vivo”;
  4. Para encerrar a transmissão, clique em “terminar” e confirme.

O Instagram Live permite acompanhar quem visualiza a transmissão, comentários e reações. Também é possível banir algum usuário tóxico do vídeo.

É importante avaliar qual plataforma ou rede social atende melhor às necessidades de quem fará a transmissão ao vivo. 

Depois de ganharem mais projeção no período de quarentena e isolamento social provocado pelo coronavírus, as lives tendem a ser mais populares e comuns nas estratégias de marketing.  Cada gestor e profissional de marketing deve se preparar para aproveitá-las da melhor forma.

Aproveite para entender também por que o Google Analytics é essencial para seu negócio.

Comentários

Este blog tem o orgulho de ter o apoio destas marcas:
Salvar