Você já ouviu falar em “Internet das Coisas”? A junção de duas palavras altamente utilizadas na nossa rotina, define um dos termos que irá definir o futuro no mundo das tecnologias. A Internet das Coisas tem um potencial tão grande de importância, que até já fizemos postagem sobre as tecnologias que estão mudando o mundo,

Você já ouviu falar em “Internet das Coisas”? A junção de duas palavras altamente utilizadas na nossa rotina, define um dos termos que irá definir o futuro no mundo das tecnologias. A Internet das Coisas tem um potencial tão grande de importância, que até já fizemos postagem sobre as tecnologias que estão mudando o mundo, há pouco tempo.

Dito isso, nos acompanhe nesse artigo onde definiremos o termo, além de mostrar alguns exemplos práticos de aplicações, atuais e futuras. É bem provável que você já tenha utilizado alguns recursos que se encaixam nesse modelo tecnológico.

O que é a Internet das Coisas

A expressão “Internet das Coisas” foi originalmente criada em 1999, nos EUA. Portanto, chamada “Internet of Things”, posteriormente abreviada para “IoT”. O responsável pelo termo foi Kevin Ashton, pesquisador britânico no Massachusetts Institute of Technology, o MIT, um dos mais conceituados pólos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico.

Kevin também é o responsável pela fundação do “Auto-ID Center”, dentro do MIT. O sistema é de suma importância para o funcionamento de diversos sensores e um padrão global para o chamado “RFID”, o “ Radio Frequency Identification”. Muitos consideram o RFID como o precursor da Internet das Coisas, afinal, é uma das primeiras formas de comunicação sem fio, utilizada para detectar objetos.

Em 2004, o conceito da IoT já aparecia em diversas plataformas, com brandas aplicações. No ano seguinte, em 2005, a ONU publicou o seu primeiro relatório baseado na Internet das Coisas. 3 anos depois, o termo foi reconhecido pela União Europeia e foi realizada a primeira conferência IoT na Europa.

Em suma, a internet das coisas é utilizada para definir uma rede de objetos físicos conectados entre si, através de sensores, softwares e, claro, internet. Quando o termo foi criado, pouco se imaginava o quanto poderia se expandir. Hoje, já imaginamos um futuro em que sistemas inteiros poderão funcionar apenas com dispositivos interconectados. Veremos melhor sobre isso adiante.

Exemplos da Internet das Coisas

Agora que você já sabe a definição do termo, vamos utilizar alguns exemplos para facilitar o entendimento de suas possíveis aplicações.

Dispositivos “smart”

Todos os dispositivos inteligentes, possivelmente presentes na sua casa, se aplicam ao conceito quando fazem conexões entre si. A Smart TV é o exemplo mais comum. Ao conectar o seu televisor inteligente na rede wi-fi e controlá-lo através do seu celular, por exemplo, o conceito de IoT está sendo aplicado. Termostatos, geladeiras e ares-condicionados, são outros possíveis exemplos, desde que realizem as conexões.

Fones de ouvido, caixas de som e relógios sem fio

Ambos podem se conectar a celulares ou computadores. Esses dispositivos não necessariamente utilizam a internet, podendo se conectar através do “Bluetooth”, por exemplo. Todavia, o conceito de Internet das Coisas ainda se aplica, devido à interconexão através de softwares e sensores.

Aparelhos que auxiliam na agricultura

A agricultura é um nicho que utiliza de diversos recursos tecnológicos para otimização do serviço. Sensores em dispositivos automáticos podem ajudar no monitoramento da temperatura, umidade do solo e do ar, ativar sistemas remotamente, como de irrigação, dentre outros usos. Todos os aparelhos que monitoram, atuam e se conectam podem ser encaixados em IoT.

Dispositivos na área da saúde

Outro exemplo importante de aplicação, atualmente utilizado, é na área da saúde. A tecnologia pode, e é utilizada muitas vezes, para auxiliar no monitoramento de pacientes. Diversos dispositivos eletrônicos estão presentes em ambulatórios e internações, para monitorar as mais diversas condições físicas. Os dados são coletados e transmitidos constantemente, caso algo anormal seja identificado, as equipes médicas podem agir rapidamente.

Esses são alguns dos diversos exemplos que podemos ter no nosso dia a dia. Em resumo, quaisquer dispositivos eletrônicos que se conectem, para monitoramento ou controle, podem se encaixar em IoT. Poderíamos ainda citar os drones, carros automáticos, sensores de presença, dentre outras tecnologias.

Outros termos tecnológicos que se relacionam com a IoT

Agora você já sabe o que é e onde a Internet das Coisas se aplica. Mas, vamos nos aprofundar um pouco mais em seu funcionamento, passando por outros termos no universo das tecnologias que podem se relacionar com a IoT.

A IoT e o 5G

Primeiramente, falaremos de um assunto em alta, a quinta geração de rede móvel, o 5G. Esse conceito tem relação direta com o funcionamento da Internet das Coisas. Afinal, para os dispositivos se conectarem é necessária alguma rede, sensor ou software. Atualmente, utilizamos programas específicos, sinais de bluetooth e internet wi-fi e 4G.

O 5G prevê grandes evoluções nas redes móveis, prometendo conexões muito mais rápidas, eficientes e estáveis. Com isso, as possibilidades dentro da Internet das Coisas aumentam consideravelmente. Isso porque, muitos dispositivos poderão se conectar simultaneamente, sem problemas com a instabilidade da rede.

Ademais, o aumento considerável na velocidade da conexão fará com que as ações realizadas pelos aparelhos sejam muito mais rápidas. A esperança é de que o 5G amplie todo o conceito de IoT. No futuro, com a ampla utilização da quinta geração de redes móveis, poderemos ter sistemas completos independentes de ação humana. Máquinas conectadas entre si, através do 5G, poderão monitorar e comandar as mais variadas ações.

A Inteligência Artificial (IA) e o Machine Learning

Outros conceitos que você já pode ter se deparado são os de Inteligência Artificial e Machine Learning. Ambos se relacionam e dizem respeito a máquinas e softwares inteligentes, que aprendem a interpretar padrões e realizar ações, independentes de ação humana.

Tanto a IA quanto o Machine Learning prometem estar presentes em diversas tecnologias que moldarão o nosso futuro. O interessante aqui é vermos a possível relação também com a internet das coisas. Afinal, os diversos aparelhos interconectados podem ter os conceitos aplicados em seu funcionamento.

Sendo assim, teríamos máquinas inteligentes, que se tornam cada vez mais independentes em suas ações, conectando-se entre si. Isso, no futuro, pode resultar em sistemas complexos onde as máquinas dependem apenas umas das outras. Os mais variados dispositivos poderão aprender e executar ações interagindo entre si.

Pode parecer um cenário de ficção científica, mas o futuro parece caminhar cada vez mais na direção dessa realidade.

Em conclusão, a “Internet das Coisas” é um termo que existe há mais de 20 anos e evolui constantemente. A chegada do 5G, assim como a evolução de tecnologias já existentes, prometem a aplicação cada vez mais ampla e completa do conceito.

Comentários

Salvar