A marcação a mercado é um conceito da matemática financeira usado para dar a um ativo o “valor presente”. Isso é fundamental caso você queira vender um título de forma antecipada. Está muito difícil de entender? Então, calma. Ao longo deste conteúdo, você descobrirá como isso funciona na renda fixa de forma prática.  Além de

A marcação a mercado é um conceito da matemática financeira usado para dar a um ativo o “valor presente”. Isso é fundamental caso você queira vender um título de forma antecipada.

Está muito difícil de entender? Então, calma. Ao longo deste conteúdo, você descobrirá como isso funciona na renda fixa de forma prática. 

Além de explicar o conceito, mostraremos  a importância da marcação a mercado para quem costuma investir em títulos de renda fixa. E isso poderá fazer com que você não perca dinheiro. Sendo assim, preste muita atenção em cada um dos próximos tópicos. 

Se você ainda não sabe o que é fundo de renda fixa, leia esse texto antes de continuar:

O que é a marcação a mercado (MaM)?

Marcação a mercado (MaM) é um termo usado para o reajuste diário nos preços de ativos financeiros. Esse ajuste pode ser tanto positivo quanto negativo, dependendo de uma série de fatores que falaremos melhor a seguir. 

O ponto importante que você precisa entender aqui é que ela funciona para reajustar o valor de um ativo. Isto é, se  você tivesse a intenção de vendê-lo hoje, quanto valeria?

Então, imagine que você acabou comprando um título de renda fixa de longo prazo. Porém, mudou de ideia e está cogitando vender este ativo antes do prazo final. 

Se parar para pensar, há um grande problema aqui, pois como você conseguirá precificar aquele ativo hoje? A princípio, o investimento seria de longo prazo, mas como trazê-lo para o valor presente?

Bom, é exatamente nesse tipo de cenário que a marcação a mercado é fundamental. Com ela, é possível mensurar qual é o valor daquele ativo para você vender hoje, mesmo que ele tenha um prazo final de muitos anos, por exemplo. 

Contudo, como falamos no começo deste conteúdo, a marcação a mercado não faz parte apenas do universo de renda fixa. Na verdade, ela também é muito usada por pessoas que compraram produtos em renda variável, principalmente os fundos de investimentos.

Leia também:

Qual é a importância da marcação a mercado na renda fixa?

Se você já pesquisou por MaM antes, é bem provável que  tenha visto vários exemplos usando investimentos em renda fixa. Isso acontece porque, em geral, esses ativos contam com prazos longos – dificilmente eles são de resgate imediato. 

Quando têm produtos de longo prazo, as pessoas que desejam vender antes do vencimento precisam entender mais sobre a marcação a mercado.

Por sinal, se o seu objetivo é ficar com o ativo até o final do prazo, sem vendê-lo antes, você não precisa se preocupar com este conceito. No fim das contas, o MaM só servirá para quem deseja vender antes do prazo.

Entendendo isso, a marcação a mercado vem para solucionar aquele grande problema que havíamos dito. Como é possível precificar o valor presente de um ativo que havia sido precificado para o longo prazo?

Mas aí você pode estar se perguntando: “como essa precificação é feita”? Para que você entenda melhor como é realizada a marcação a mercado, confira agora o próximo tópico.

Leia também: 

3 critérios analisados na marcação a mercado

Para que seja feita a MaM, são analisados três pilares que mexem com os preços dos principais ativos. Portanto, eles são levados em consideração na hora de trazer esse ativo de longo prazo para valor presente. 

1. Economia

A primeira coisa analisada é a economia atual  do país. Principalmente para títulos de renda fixa, a taxa Selic atual e a inflação têm um peso muito grande neste tipo de análise.

Entendendo como a economia está, é possível identificar se o país vive em um cenário de alta ou baixa. São pontos que têm um forte peso nos investimentos. 

2. Demanda

De fato, os investimentos têm uma grande influência da situação econômica do país. Mas não há como negar que a demanda de investidores também movimenta muito o mercado.

Apenas como um exemplo, em momentos de queda na taxa básica de juros, vimos uma grande alta na demanda por investimentos em renda variável, certo? De certo modo, isso desfavorece os investimentos em renda fixa. 

De tal forma, agora que a Selic voltou a subir de forma intensa, a demanda por investimentos em renda fixa voltou a crescer. Com tudo isso, podemos entender que o mercado é cíclico. Então, a análise também dependerá da demanda de investimentos do momento.

3. Novos títulos

Mais um critério que tem peso na MaM é o valor dos outros títulos que vêm sendo emitidos. Para  fazer a marcação a mercado, também é analisado o desempenho desses novos títulos para  ter um parâmetro do valor presente.

Na prática, podemos entender que esse processo de MaM ocorre com a junção de todos esses fatores. Sendo assim, dependendo do cenário atual, você pode acabar sendo favorecido ou não. Não há como prever.

Entendendo o que é marcação a mercado, podemos concluir que, se você deseja resgatar antes do prazo final, terá que se importar com este conceito. Contudo, o ideal é que, antes de investir, você veja se aquele prazo está de acordo com as suas expectativas.

Resgatar antes do prazo não é o melhor a se fazer e, muitas vezes, poderá ocasionar uma depreciação considerável. Isso com base naquilo que você ganharia se esperasse até o prazo final. 

Não se esqueça de conferir as nossas postagens sobre finanças para entender conceitos parecidos com esse. Com isso, será mais fácil tirar todas as suas dúvidas sobre investimentos!

Aqui na Digilândia você encontra todos os assuntos do momento sobre o mundo financeiro, empreendedorismo, marketing, tecnologia e muito mais! Continue navegando e aproveite todo conteúdo!

 

Comentários

Salvar