De tempos em tempos, surge uma pirâmide financeira. Seu dinheiro é valioso para ser desperdiçado! Veja 9 dicas para se manter em segurança →

Famosas no Brasil dos anos 80, muitas pessoas perderam dinheiro com esquemas de pirâmide financeira. A ideia parece ótima, afinal, parece que estamos ajudando outras pessoas ao mesmo tempo que recebemos no final um valor considerável. Acontece que a conta não fecha.

Para que o modelo se sustente, é necessário sempre trazer novas pessoas para o esquema.. Como pessoas e dinheiro são recursos finitos, fica  impossível criar uma pirâmide que não termine em catástrofe, e que deixe  a maioria dos participantes no prejuízo.

O que é pirâmide financeira?

O golpe conhecido como pirâmide financeira é considerado crime no Brasil desde 1951. Ele se baseia no formato das antigas pirâmides: com uma pessoa no topo, duas abaixo, depois quatro, assim por diante, formando um grande bloco. Cada pessoa que entra faz uma contribuição em dinheiro, e quem a indicou recebe uma comissão por isso.

A pessoa que entra precisa entregar um valor à quem faz a gestão da pirâmide. 

Vamos pensar no exemplo: alguém criou uma pirâmide financeira que tem a mensalidade de R$ 100. Quem entrar no esquema, receberá R$ 20 da mensalidade paga pelas pessoas que trouxer para a pirâmide.

Digamos que cada pessoa tenha indicado outras duas:

Cuidado: pirâmides financeiras podem ser tentadoras.

Se a pirâmide parar por aí, mesmo pagando as comissões de 20 reais por indicação, o criador receberia um total de R$ 1220 (100 + 160 + 320 + 640). E de onde veio esse dinheiro? Do prejuízo de cada participante, é claro. Aqueles que receberam comissões, pagaram 100 e receberam de volta apenas 60. Os últimos, na base do exemplo e que não indicaram ninguém, pagaram os mesmos 100 e não receberam nada.

Há outros modelos, esse foi apenas um dos vários exemplos. O que nos leva ao próximo tópico deste artigo.

Golpe da pirâmide – afinal, toda pirâmide financeira é golpe?

Sim, por mais que não pareça. Para começar, é lei: de acordo com o TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios), “A Lei 1.521/51 dispõe sobre crimes contra a economia popular. Em seu artigo 2ª, inciso IX, a norma prevê o chamado crime de “pirâmide” ou “esquema de pirâmide”…”. A pena é de 6 meses a dois anos de prisão, e multa a ser calculada.

Mas claro, há casos e casos. Na internet, a mandala da prosperidade, que focava em mulheres e evocava para si sentimentos de sororidade, ficou famosa por ser claramente um golpe. 

Foram inúmeras denúncias e depoimentos. Mas há outros, igualmente famosos, como a Telexfree, que até envolvem a venda de produtos em escala (como acontece no marketing multinível), mas sua estrutura depende do recrutamento de novos vendedores.

Qual a diferença entre pirâmide financeira e marketing multinível?

Simples! Há empresas muito rentáveis, que trabalham dentro da lei e geram lucro não somente para os acionistas, mas também para seus participantes.

Um ótimo exemplo é a AVON, que fatura bilhões anualmente e emprega centenas de milhares de mulheres pelo mundo. Uma revendedora ganha ao comprar produtos por um preço menor e vendê-los conforme a tabela. 

Se ela indicar outra revendedora, irá receber também uma pequena comissão sobre as compras que esta fizer. Sendo assim, a comissão é gerada a partir de uma venda, sempre, e o negócio é mantido não pela indicação de mais revendedoras, mas pelas vendas feitas.

Quando trazer alguém novo para o negócio se torna apenas uma vantagem a mais, oferecendo um bônus, isso não é ilegal e nem gera prejuízo. No próprio negócio da AVON, grande parte das vendas  é feita sob encomenda prévia: a consultora oferece o produto, o cliente pede, só então que a compra é feita no fornecedor. Todo mundo ganha!

Há outras empresas de marketing multinível grandes, como Hinode, Herbalife e Amway. E também aquelas que, como a Natura, preferem dizer que operam no modelo de vendas diretas. É importante conhecer o modelo de negócio e evitar fazer compras antecipadas (mesmo que isso pareça vantajoso). Trabalhando bem, essa pode ser uma ótima forma de ganhar um dinheiro extra.

Dicas para evitar cair em uma pirâmide financeira

Para começar, vale ter bom senso. Sabe quando nossos avós diziam que “quando a esmola é demais, o santo desconfia”? Ganhar dinheiro não é um processo simples, rápido ou fácil e, se parece ser qualquer uma dessas três coisas, certamente há algo oculto nas letras pequenas. Um exemplo atual é o robô de pix – promete mundos e fundos, mas não dá nada em troca.

Listamos dicas para você evitar esse problema. Confira:

  1. Não acredite em tudo o que lê na internet – investimentos realmente bons não precisam de recrutadores apressados e insistentes. Desconfie dessas promessas de retorno garantido e rápido, em especial se alguém estiver tentando te convencer demais.
  2. Faça pesquisas – busque em sites como o Reclame Aqui por feedbacks, leia o que outras pessoas dizem sobre a empresa nas redes sociais. É importante falar com quem saiu e não gostou, não apenas com quem está no negócio e diz ser muito vantajoso.
  3. Nem tudo é o que parece, desconfie do sucesso alheio – um método atroz e muito baixo de atrair novos participantes de pirâmides é a ostentação. Diversos participantes alugam mansões, carros de luxo, roupas e até celulares para fazerem vídeos em que mostram seus altos ganhos. Mentira, né?
  4. Não faça pagamentos adiantados – até porque, não há como garantir retorno. Se você entra em um negócio que não possui contrato com grandes instituições financeiras, não faça investimentos sem receber algo em troca, imediatamente. E claro, leia o contrato!
  5. Ao encontrar um novo negócio, busque um advogado – se não tiver um, ao menos leia o contrato com calma. É importante que você preste atenção a cada cláusula, pois algumas coisas podem induzir ao erro, propositalmente.
  6. Não aceite entrar em algo que não entendeu completamente – você aceitaria um emprego que fala apenas dos benefícios, mas não da atividade que precisará ser executada? Peça detalhes sobre o modelo de negócio para evitar cair no golpe da pirâmide.
  7. Estude sobre investimentos – sim, isso vai ajudar você a direcionar bem o seu dinheiro. Leva tempo, mas é possível garantir retornos de médio e longo prazo, ajudando a conquistar sonhos ou mesmo a ter uma boa aposentadoria.
  8. Consulte o site da CVM – se um investimento não consta na Comissão de Valores Mobiliários, está irregular e provavelmente se trata de um golpe.
  9. DENUNCIE! Sempre que identificar uma pirâmide, faça uma denúncia. Ela poderá ser feita para o ministério público, CVM, polícia civil ou federal. Vamos combater a desinformação juntos, cumprindo com a cidadania.

O que são sites de pirâmide financeira?

Sim, os sites de pirâmide financeira existem. Com o advento das criptomoedas então, vários novos surgiram, e já estão na mira da polícia.

Em vez disso, siga nas redes sociais perfis como Me Poupe, Nath Finanças e Favelado Investidor, que se valem de uma linguagem fácil de entender e, por isso, ajudam a prosperar. Cada um desses influenciadores ensina a economizar, poupar e investir dinheiro.

O que é uma pirâmide de investimento?

Pirâmide de investimento é apenas um outro nome para o mesmo golpe. Infelizmente, ao trocar algumas palavras de lugar ou encontrar sinônimos, pessoas mal intencionadas conseguem influenciar outras a fazerem coisas ruins.

Quer aprender a investir o seu dinheiro? Confira esses tutoriais que preparamos para você aqui na Digilândia:

Procurando bem e em fontes confiáveis, é possível aprender a investir o seu dinheiro. Ter uma reserva de emergência e receber dividendos de vez em quando seria bom, certo?

Se você leu o artigo até aqui, vamos te fazer um pedido: compartilhe o link desse texto com alguém que precisa dessas informações! Certamente você conhece alguém que já caiu no golpe da pirâmide, e podemos evitar que isso aconteça se falarmos a verdade sobre o tema.

Comentários

Salvar