Veja os principais desafios enfrentados na adaptação ao home office e o que fazer para superar os obstáculos do trabalho remoto

Embora o home office ofereça diversas vantagens, como a flexibilidade da definição e uma maior qualidade de vida, esse modelo de trabalho também apresenta diversos desafios. Especialmente para quem nunca optou pelo teletrabalho, a adaptação à nova rotina não é tão simples quanto parece.

Entre encontrar um espaço de trabalho adequado em casa, dividir o ambiente profissional com familiares e ter a disciplina necessária para se manter produtivo, são vários obstáculos a serem superados por quem passa a trabalhar remotamente.

Depois de experimentarmos alguns dos principais desafios do home office, decidimos ajudar as pessoas a superá-los. Por isso, a seguir, apresentaremos formas de lidar com cada um desses obstáculos e o que pode ser feito para tirá-los do caminho.

Acompanhe e transforme sua rotina no trabalho remoto!

Ter a estrutura adequada para o trabalho

O primeiro passo para quem deseja trabalhar remotamente é encontrar um espaço de trabalho adequado. Nem todos os profissionais têm um cômodo em casa preparado para o home office e, assim, precisam adaptar algum ambiente. 

Ter uma estrutura de trabalho adequada é essencial para ser produtivo. Até mesmo a falta de uma cadeira adequada por gerar dores e problemas para a coluna. Por isso, é um desafio do home office que merece atenção especial.

Não se preocupe se você não tem muito dinheiro para investir. É possível montar um home office gastando pouco. O melhor caminho é começar com apenas o essencial para trabalhar de casa. E isso envolve três necessidades básicas:

  • Bancada de trabalho;
  • Cadeira adequada e confortável;
  • Equipamentos eletrônicos básicos.

Bancada de trabalho

O profissional que quer ser eficiente ao trabalhar em casa não deve realizar suas atividades sentado no sofá ou em um local em que precise apoiar o notebook no colo. É fundamental ter uma bancada de trabalho.

Aqueles que podem gastar um pouco mais têm a opção de comprar um móvel de escritório ou uma mesa de trabalho que comporte todos os equipamentos. Se esse não for o seu caso, não se preocupe. Há outras alternativas. O primordial é ter uma superfície onde possa apoiar seu notebook ou desktop.

Independentemente do local escolhido, tenha atenção às medidas de sua bancada de trabalho. É recomendável que ela tenha ao menos 50 centímetros de profundidade e esteja a aproximadamente 75 centímetros do chão. Seguindo essas dimensões, seus equipamentos ficarão bem apoiados e haverá o conforto necessário para desempenhar suas tarefas.

Cadeira adequada e confortável

Já que falamos em conforto, não podemos nos esquecer de uma peça fundamental para um home office: a cadeira de trabalho.

Lembre-se que a tendência para quem trabalha em casa é passar muito tempo sentado. Dessa forma, ter uma boa cadeira é fundamental para evitar problemas para coluna, desconfortos para os pés ou problemas de visão.

A cadeira do home office deve ter regulagem de altura, para permitir que os pés sempre estejam apoiados firmemente no chão ou em um descanso para pés. 

Além disso, as regras para ter um bom ambiente de trabalho indicam que o antebraço deve ficar em posição paralela ao chão na hora de digitar. 

O monitor, por sua vez, tem de ficar posicionado de maneira que seja possível ver toda a tela sem realizar movimentos bruscos da cabeça. 

Equipamentos eletrônicos básicos para home office

Além da bancada de trabalho e da cadeira, para montar um home office, será necessário contar com alguns equipamentos eletrônicos. Os principais são um computador e um fone de ouvido. Você poderá precisar ainda de uma webcam e de um suporte para seu notebook.

Inicialmente, é possível contar com um fone básico e usar um notebook que não seja de última geração. Se não pode gastar muito, deixe para investir mais em equipamentos quando houver um dinheiro sobrando. 

Manter o foco no trabalho remoto

Um dos principais preconceitos em relação ao trabalho remoto é a possibilidade de perda de produtividade. Entretanto, muitos estudos e pesquisas mostraram que esse é um mito. Na realidade, as empresas percebem que seus profissionais mantêm ou até aumentam sua capacidade produtiva enquanto trabalham em casa. Não à toa, grandes companhias manifestaram o desejo de manter o home office mesmo depois da pandemia de Covid-19.

Entretanto, ao longo da jornada de trabalho, é comum que o ritmo de produtividade não seja alto o tempo todo. Especialmente para quem estava acostumado a trabalhar num escritório, a missão de realizar todas as tarefas em casa pode se tornar um desafio com as diversas distrações oferecidas pelo ambiente doméstico.

Se você encontra dificuldades para manter o foco durante o home office, confira algumas atitudes ajudam a manter a concentração:

  • Mantenha o ambiente de trabalho organizado: esse é um passo fundamental para que tenhamos mais satisfações e trabalhar e, consequentemente, mais produtividade. Se você tem dúvidas de como proceder, o Método Konmari será bastante útil.
  • Organize sua agenda de tarefas diárias: manter e gerir uma agenda com todas as atividades a ser realizadas durante o dia é um primeiro passo para a conclusão de cada etapa de um grande projeto.
  • Identifique as tarefas que são prioritárias: meio a muitas atividades a serem cumpridas, podemos não desempenhar tão bem todas elas e, consequentemente, deixar com que isso gere ansiedade. Técnicas como a Matriz de Eisenhower ajudam a identificar o que é prioridade.
  • Utilize técnicas de Produtividade: para evitar que distrações prejudiquem a sua produtividade, você pode recorrer a diferentes técnicas que ajudam a manter o foco no home office. Uma das mais populares e usadas em todo o mundo é a Técnica Pomodoro.
  • Evite a procrastinação: o hábito de adiar tarefas diminui a produtividade e provoca ansiedade. Algumas técnicas ajudam a evitar a procrastinação e a gerir melhor o tempo durante o home office.

Ouça a entrevista com Amanda Alvernaz, do Trello, e saiba como se organizar e aumentar a produtividade no home office:

Manter a saúde mental e evitar o burn out

Muitos profissionais se preparam para trabalhar no regime home office e, aos poucos, aprendem quais rotinas podem tornar seu dia a dia mais produtivo e alcançar melhor qualidade de vida. Porém, nem todos se adaptam rapidamente à nova modalidade de trabalho e, assim,  podem ser gerados dois obstáculos para uma relação saudável com o trabalho.

Para alguns, a sensação de que não estão sendo produtivos o suficiente pode se tornar uma pressão excessiva. Já para outros profissionais que trabalham remotamente, o grande inimigo será o trabalho em excesso, que levará ao burn out.  

Independentemente de qual seja seu perfil, para evitar que isso aconteça, é fundamental desenvolver a inteligência emocional e definir os melhores caminhos para cumprir todas as tarefas de trabalho.

Um passo fundamental para atingir esse objetivo é o autoconhecimento. Identificar pontos fortes e, principalmente, as limitações é determinante para evitar a perda de controle emocional no trabalho. É preciso compreender o que gera felicidade e motivação, assim como quais são as causas para frustração.

Profissionais com alta inteligência emocional são aqueles que aprendem a lidar com emoções negativas e com a pressão do dia a dia. Lembre-se que por mais que a busca pela produtividade deva ser levada em consideração, não somos máquinas capazes de manter o mesmo rendimento a todo momento.

Comunicar-se da melhor forma com o restante da equipe

Com a migração para o trabalho remoto, muitas pessoas estão se familiarizando com uma nova forma de comunicação. A possibilidade de ir até a mesa de um colega para tirar uma dúvida ou dar algum recado não existe mais. 

Agora, é necessário ter mais paciência para aguardar uma resposta de uma mensagem de texto ou conseguir um horário para uma videoconferência.

Em contrapartida, as interrupções comuns no trabalho em escritório não se repetem no home office. Assim, é possível ter mais foco e, consequentemente, mais produtividade. 

Essa vantagem do home office, entretanto, só se é percebida quando toda a equipe evita mensagens invasivas. Para evitar que isso ocorra e seja criado um cenário que propicie espaço para todos serem mais produtivos, é fundamental que seja adotada a comunicação assíncrona.

“Quando não precisamos da resposta imediata, é melhor escolher uma comunicação não interruptiva. Uma mensagem que não precisa interromper o foco da pessoa com quem você quer se comunicar. Dar preferência à comunicação assíncrona, sempre que possível, é algo que faz muita diferença na produtividade de um time. Parece bobagem, mas faz muita diferença na qualidade e em quão boas são as entregas do seu time”, Rafael Damasceno, co-fundador da Supersonic, que adotou o trabalho remoto desde o dia de sua fundação e foi classificada como Great Place to Work. 

Portanto, tenha a compreensão de que nem todas as mensagens enviadas durante o home office serão respondidas imediatamente. Caso seja um assunto urgente, é importante que haja um canal de comunicação definido para esse caso. 

Mas, independentemente da urgência, é importante que haja clareza sobre quais canais de comunicação serão utilizados, para que não haja nenhum contratempo ou desalinhamento no fluxo de trabalho.

Confira o Clube de Descontos da Digilandia e tenha acesso a ferramentas que ajudarão na sua adaptação ao home office:

Clube de Desconto Digilandia

Dividir o ambiente de trabalho com os filhos

Usualmente, pais e mães que trabalham em regime home office poderiam dividir parte do período de trabalho com os filhos em casa. Durante a pandemia de Covid-19, todos que os pais que precisaram trabalhar remotamente tiveram de conviver com crianças e adolescentes durante todo o dia, já que as escolas se mantiveram fechadas por conta do isolamento social.

Mesmo depois do fim da pandemia, esse cenário ainda será real para muitos. Afinal, diversas empresas de diferentes portes já manifestaram a intenção de manter o home office com padrão no futuro. Assim, ter de dividir o ambiente de trabalho com crianças durante parte do dia será o “novo normal” para muitos pais e mães.

Conciliar a produtividade no trabalho com a responsabilidade de cuidar dos filhos tem sido um desafio para diversos profissionais. Diante disso, a seguir, apresentamos algumas das dicas oferecidas por pais e especialistas em como trabalhar em home office com os filhos.

  • Estabeleça uma rotina: em dias úteis, as crianças e os adolescentes devem ter horários para acordar, tomar café da manhã e acompanhar as aulas programadas a distância. Isso ajuda com que os pais tenham mais controle sobre o dia a dia dentro de casa enquanto precisam trabalhar.
  • Determine regras e delimite espaços: um caminho importante para evitar que as crianças não compreendam os momentos que os pais precisam se dedicar exclusivamente ao trabalho é determinar regras como horários e delimitar locais que devem ser usados somente para o home office.
  • Definir intervalos para ficar com as crianças: assim como deve haver regras de horários em que os pais precisam se dedicar exclusivamente ao trabalho, é recomendável separar intervalos em que as crianças receberão atenção e não se sentirão desamparadas.

Ao fim da pandemia, com o retorno das aulas nas escolas, a tendência é que os desafios para os pais que adotam o home office sejam amenizados, já que as crianças e adolescentes permanecerão menos tempo em casa.

Entretanto, lembre-se que o teletrabalho é uma das principais tendências para o futuro do trabalho pós-pandemia. Assim, é sempre importante procurar meios para superar os desafios que possam vir a surgir no home office.

Se você sentiu falta de algum obstáculo que tem enfrentado no trabalho remoto, aproveite o espaço dos comentários para deixar sua opinião! Teremos prazer em ajudar a solucionar os desafios dessa jornada.

Comentários

Este blog tem o orgulho de ter o apoio destas marcas:
Salvar